PHILIP ROTH. A TRILOGIA: "PASTORAL AMERICANA", "CASEI-ME COM UM COMUNISTA" E A "MARCA HUMANA"

Por muitas razões Philip Roth é um dos maiores escritores do mundo. Um grande talento para fascinar o leitor com estórias bem contadas. E bem mais. Tem lucidez e clareza para compreender, descrever e discutir problemas humanos fundamentais. Com profundidade e sofisticação. Não há banalidade em sua obra.  Desde o início de sua carreira Roth foi um bom escritor, mas a partir de “Patrimônio” tornou-se genial. E produziu fartamente. Faleceu em 22 de Maio de 2018, aos 85 anos. Deixou um grande legado. Creio que permanecerá, habitando os mundos de seus leitores. Inclusive os de tempos vindouros. Quase tudo o que escreveu é excepcionalmente bom. Usando um discurso de estrutura relativamente simples ele trata de temas delicados com complexidade notável. É instigante. Convida à inteligência na interpretação da vida. Enriqueceu o acervo intelectual e moral de nosso tempo. Fiel a sua origem judaica e norte-americana ele ultrapassou muitas geografias para se tornar o que foi. Há um veio forte, que atravessa o conjunto de sua obra: a dimensão trágica da insubmissão da realidade diante da vontade do ser humano. Por melhores que sejam seus propósitos e maiores que sejam seus esforços.  Ao construir seus romances ele lança mão de contorções e “avessamentos” éticos para desconstruir e avaliar padrões comportamentais aparentemente bem estabelecidos. A moral está sempre em cheque. Com “Pastoral Americana”, “Casei-me Com Um Comunista” e “A Marca Humana” relata situações muito vivas, que adquirem estaturas próximas da experiência concreta de quem lê. É tudo verdade. Um embate entre bem e mal. O enorme esforço para discernir uma coisa de outra. Os enredos dos três livros são distintos. A trilogia justifica-se pelo tema que fundamenta as estórias. Em “A Marca Humana” trata de modo mais direto da hipocrisia que pode ser carreada por comportamentos “politicamente corretos” e do quanto as pessoas podem ser perversas, agindo em nome de um suposto bem. “Casei-me Com Um Comunista” fala de um casamento que se transforma num drama doloroso e em decepções trágicas, em função dos enganos engendrados pela superficialidade das relações que parecem íntimas, quando estão distantes disto. “Pastoral Americana” mostra as forças indomáveis que levam à destruição de um projeto de vida, especialmente quando as relações entre as pessoas são parte de sua realização. Roth evidencia a dificuldade, se não impossibilidade, de se dominar egoísmo, mesquinhez, estreiteza de percepção, utopismo, propensão à destrutividade, entre outras indesejáveis qualidades inerentes aos indivíduos. Em grande parte elementos involuntários e amplamente refletidos nos fenômenos sociais, no intuito (ou na falta deste) de proceder de modo benigno na vida comum. Odisseias do homem para tornar-se melhor do que está, em princípio, capacitado para ser. A leitura de Roth é sempre deliciosa apesar da densidade. Uma oportunidade de aproximação com um pensamento inteligente, corajoso e est(ético). Transformador.

For many reasons Philip Roth is one of the greatest writers in the world. A great talent to fascinate the reader with well told stories. And much more. He has the lucidity and clarity to understand, describe and discuss fundamental human problems. With depth and sophistication. There is no banality in his work. From the beginning of his career Roth was a good writer, but from “Heritage” he became a genius. And he produced abundantly. He died on May 22, 2018, aged 85 years. He left a great legacy. I believe he will remain, inhabiting the worlds of his readers. Including those of times to come. Almost everything he wrote is exceptionally good. Using a discourse of relatively simple structure, he deals with delicate topics of remarkable complexity. He is thought-provoking. It invites intelligence in interpreting life. It has enriched the intellectual and moral heritage of our time. True to his Jewish and American origins, he crossed many geographies to become what he was. There is a strong vein that runs through his body of work: the tragic dimension of reality’s non-submission to the will of human beings. No matter how good your purposes and how great your efforts. When constructing his novels, he makes use of ethical contortions and “detours” to deconstruct and evaluate apparently well-established behavioral patterns. Moral is always in check. With “American Pastoral”, “Married to a Communist” and “The Human Stain” he recounts very vivid situations, which acquire statures close to the concrete experience of those who read. It’s all true. A clash between good and evil. The enormous effort to discern one thing from another. The plots of the three books are distinct. The trilogy is justified by the theme that underlies the stories. In “The Human Stain” he deals more directly with the hypocrisy that can be brought about by “politically correct” behavior and how perverse people can be, acting in the name of a supposed good. “Married to a Communist” speaks of a marriage that turns into a painful drama and tragic disappointments, due to the mistakes engendered by the superficiality of relationships that seem intimate, when they are far from it. “American Pastoral” shows the indomitable forces that lead to the destruction of a life project, especially when the relationships between people are part of its realization. Roth highlights the difficulty, if not impossibility, of mastering selfishness, pettiness, narrowness of perception, utopianism, propensity for destructiveness, among other undesirable qualities inherent in individuals. Largely involuntary elements and largely reflected in social phenomena, with the intention (or lack thereof) of proceeding benignly in common life. all of the plots are man’s odysseys to become better than he is, in principle, able to be. Roth’s reading is always delicious despite the density. An opportunity to approach to intelligent, courageous and aesthetic thinking. Transformer.

7 comentários

  1. Meu amigo, adoro seu conhecimento e a facilidade em nos trazer de modo tão claro e simplificado leituras que são preciosas. 💋

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s