SOBREVIDAS

Zanzibar é um arquipélago formado por duas ilhas na costa leste da África e que é um estado semiautônomo integrante da Tanzânia. Lá nasceu o vencedor do Prêmio Nobel de 2021, Abdulrazak Gurnah (1948). Ele, que agora vive no Reino Unido, publicou vários livros de sucesso, entre os quais “Sobrevidas”, romance cujo enredo se desenrola desde o final do século XIX, com eixo principal na primeira metade do século XX. Através de estórias que convergem ele trata do colonialismo europeu nos países africanos, com foco em sua terra natal.

Há várias definições para a palavra colonialismo, mas quase todas têm relação com a ideia de dominação (geralmente pela força) de um povo sobre outro (pode incluir aspectos econômicos, políticos, militares e culturais). Parece ter sido um modo de relação entre as sociedades desde que foram formadas, mesmo que não se evidencie de modo constante. São múltiplos os fatores causais para que esse tipo de comportamento exista e há diferentes pretextos para tentar fazer parecer que pode ser legítimo. Tem forte relação com o imperialismo e com frequência traz embutido o racismo em variadas acepções. Ao se observar as interações entre indivíduos é possível encontrar elementos que podem ser interpretados como tentativas de subjugar, controlar e obter vantagens sobre o outro e assim personalizar uma dimensão importante dessa mazela humana, recusando o anonimato das ações dela decorrentes.

Gurnah fala de um período em que nações europeias ocuparam e submeteram países da África, além da Índia e partes da Ásia, algo especialmente marcante entre a segunda metade do século XIX e meados do século XX. Estratégias do imperialismo, que com diferentes apresentações aparecem ao longo da História. A Tanzânia e grande parte do oeste africano ficou sob domínio da Alemanha e posteriormente do Império Britânico (até 1961). O autor aborda esse tema sem uso ou aproximações com discursos estereotipados. Tem a fineza de não recorrer a infertilidades dessa ordem. Num texto fluido, de trama bem articulada e personagens desenvolvidos com consistência para dizer competentemente o que o pretende, o escritor mostra talento para olhar com a profundidade que não grita, mas chega ao cerne dos problemas envolvidos. Comporta diversidade onde ela não é buscada pelos que se atêm às narrativas banais ou demagógicas e torna questões importantes mais visíveis e tocantes. Escapa de proposições doutrinárias maniqueístas e mantem cruas as interrogações necessárias para manter como uma chama eterna a atenção para motivações e atos, pensados ou impensados, que servem à violência e outras modalidades de barbárie em que os humanos tendem a incorrer, inclusive alardeando falsamente o precioso ideal de civilidade como justificativa.

Até certo ponto sobrevive-se a isso, mas somente até certo ponto.

Título da Obra: SOBREVIDAS

Autor: ABDULRAZAK GURNAH

Tradutor: CAETANO W. GALINDO

Editora: COMPANHIA DAS LETRAS    

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s