O CHAMADO DA TRIBO

O Liberalismo é um conjunto de doutrinas que abrangem questões econômicas, políticas, culturais e religiosas, de acordo com as quais o Estado deveria ter poder limitado de interferência na vida dos indivíduos e grupos sociais. O Estado deveria assumir funções administrativas em alguns setores da sociedade e reguladoras com relação com à garantia da Lei e da aplicação de leis. A singularidade individual deveria ser sempre preservada e a pessoa, mesmo tendo obrigações irrefutáveis e claramente definidas para com o mundo em que vive, não poderia ser “apagada” através de sua transformação em uma unidade da massa. O conceito de liberdade é amplamente utilizado e priorizado pelos liberais. Ganha relevo o respeito à realidade forjada pelos indivíduos na intricada rede de interações sociais, revelada e sempre renovada ao longo da história, sem que se possa prevê-la ou planeja-la com grande antecipação. A compreensão atualizada e objetiva desta realidade (até onde isto é possível) é uma meta sempre posta acima das idealizações. Há um combate às crenças utópicas e rígidas, criadoras de projetos que distorceriam as possibilidades reais de sua aplicação e poderiam ser geradoras de danos trágicos para a maioria dos indivíduos, que não deteriam verdadeiramente o poder. Todavia, há variações importantes nas concepções de teorias de que se servem os liberais para fazerem valer seus preceitos. “O Chamado da Tribo” de Mario Vargas Llosa (Arequipa, Peru, 1936) é um conjunto de ensaios biográficos em que ele fala daqueles que considera os principais pensadores desta corrente. São pequenas biografias pessoais, culturais e políticas de alguns dos que, em épocas diferentes, refletiram e propuseram visões de mundo cujo ponto comum é a valorização das liberdades individuais, desde que submetidas à Lei e às leis. Llosa, que ao longo de sua vida migrou das ideologias de esquerda vigentes em sua juventude para o pensamento liberal e democrático, mostra neste livro aquilo que vem dando esteio a seu modo de buscar e defender concepções de justiça social e individual. Entre os pensadores biografados nos ensaios estão: Adam Smith (1723-1790), José Ortega y Gasset (1883-1955), Friederich August von Hayek (1899-1992), Karl Popper (1902-1994), Raymond Aron (1905-1983), Isaiah Berlin (1909-1997) e Jean-François Revel (1924-2006). Independentemente da simpatia ou não por ideias liberais, nesta obra é possível desfrutar da erudição do autor, que fala sobre seus inspiradores com prosa cristalina, bem informada e saborosa, mesmo presumindo vieses determinados por sua adesão (quase paixão) a estas doutrinas.

Título da Obra: O CHAMADO DA TRIBO

Autor: MARIO VARGAS LLOSA

Tradução: PAULINA WACHT E ARI ROITMAN

Editora: OBJETIVA

 

tribo 1

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s