NO CAMPO DA HONRA

O russo Isaac Bábel (Odessa 1894 – Moscou 1940) foi fuzilado pelo regime stalinista em 1940, acusado de “atividades antissoviéticas e espionagem”. Matando-o, o Estado Soviético cometeu uma terrível atrocidade contra o escritor e interrompeu a carreira literária de um dos grandes talentos do século XX. Tais eventos eram relativamente comuns durante o período em que a União Soviética foi governada por Joseph Stálin e, como no caso de Bábel, eram muito frequentemente justificados com acusações falsas. As execuções eram maneiras de liquidar sumariamente aqueles que ousassem manifestar alguma discordância ou crítica em relação às ações governamentais ou postulados ideológicos. Muitos eram punidos, mesmo sem nenhuma ação política ou qualquer tipo de infração. Assim, a população era manipulada através do medo. Qualquer pessoa poderia ser vítima dessa estratégia de controle.

Bábel tinha o poder da concisão e força no que escrevia e ainda causa impacto no leitor. Falava sobre o que julgava essencial nos seres humanos e no contexto em que viviam. Lapidava cuidadosamente seus textos. Os contos agrupados sob o título “No Campo da Honra” tratam do que pode significar refletir sobre os valores morais nas ações, da implicação disso naquilo que sustenta a civilidade. Essencialmente, o autor aponta para a importância da ética, quase como uma oposição ao moralismo e à automatização dos atos dos indivíduos na coletividade. Questões de honra, numa acepção bem profunda, mas sem desconexão com a superfície pragmática. Do tipo que ocorrem em vastos campos, quando a referida ética tem peso significativo na formação do caráter das pessoas. São estórias ambientadas em cenários de batalha durante a Primeira Guerra Mundial, entre exércitos da França e da Alemanha. Nessas narrativas sucintas atitudes drásticas em situações extremas são tomadas pelos personagens. Seus atos no momento da ação na estória parecem romper com padrões de seu comportamento habitual e exigem deles muito investimento reflexivo para que possam ser legitimados e levados a cabo. Correspondem ao dever imperativo. Inevitável. As premissas morais são mais fortes do que o desejo/necessidade de sobrevivência (própria ou do outro). Estes contos apresentam protagonistas assumindo posturas marcadas por grande rigor crítico diante da vida, tomada em sua imensa complexidade. São definidos predominantemente pelo que pensam e decidem em momentos críticos. Mesmo em condições de exceção, há tocante consonância entre valores e atitudes dos atores ficcionais, possivelmente refletindo a personalidade do autor.

Título da Obra: NOS CAMPOS DA HONRA (que contém estes e outros contos do autor)

Autor: ISAAC BÁBEL

Tradutor: NIVALDO DOS SANTOS

Editora: 34

CAMPO1

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s