UM MÉDICO RURAL

Pessoas são seres históricos, pois as circunstâncias de sua formação contribuem para que se tornem o que são. Todavia, elas não se resumem a isso. Cada indivíduo tem singularidades em sua personalidade, que está sempre em transformação. Suportes que tornam distinta sua identidade (também mutante numa certa medida) no meio de tantos outros semelhantes. As peculiaridades pessoais contribuem para modos de compreender, sentir e agir no mundo. Franz Kafka (Praga, 1883 – Kierling, 1924) transformou em literatura aquilo que sentia e entendia ser a vida. Seu discurso foi sempre marcado por suas experiências, fantasias, temores e, com mais timidez, anseios. Falou com sombria profundidade das ameaças geradas dentro e fora dele, em ambos os casos impondo-lhe barreiras duras e intenso sofrimento. Descreveu a percepção, muito própria, da opressão nas relações entre pessoas, talvez formas de crueldade que as atingem tanto pelo que elas escolhem como pelo que não escolhem, assim como da impotência diante disso. Esses temas são bastante importantes no conjunto de sua obra, dentro do muito que se pode ler nela. Ele mostrou grande intimidade com a dor dos que perdem o norte do mundo em que vivem e com o que há de frágil no ser humano, mesmo quando a fragilidade disfarça-se na rudeza e na brutalidade do comportamento. Transcendeu seu tempo histórico e falou, na atemporalidade, universalmente. Identificou e reconstituiu aspectos essenciais do homem, em diferentes contextos. O livro “Um Médico Rural”, composto de “pequenas narrativas” que ele não queria que fossem tomadas por parábolas ou alegorias, como lembra no posfácio Modesto Carone, seu tradutor, talvez condense e ilustre o que há de mais importante no que escreveu. Nessa coletânea talvez seja possível encontrar o homem que precisou expressar algo fundamental. Personificado em cada conto, Kafka vai ao leitor para dizer-lhe a verdade. Verdade esta que não se fixa em particularidades, que o transcende como autor e que convida à transcendência o seu leitor. Talvez por revelar um pouco daquilo que emana, atravessa e ultrapassa cada um. Todos.

Essas curtas narrativas estimulam a reflexão e podem proporcionar regozijo estético. Mesmo que também desconfortem.

Título da Obra: UM MÉDICO RURAL

Autor: FRANZ KAFKA

Tradutor: MODESTO CARONE

Editora: COMPANHIA DAS LETRAS

kafka

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s