POPULISMO

Apesar das definições variarem um pouco, o populismo pode ser considerado um tipo de estratégia de ação política. Nela, um líder apela para um certo tipo de vinculação direta e primária com o povo. Usa promessas sedutoras, agradáveis à maioria, mas muitas vezes distantes da possibilidade de realização. Evita a exposição de problemas complexos, que demandem medidas mais “duras” para sua resolução. Esconde-os ou apresenta projetos para resolve-los que não causam rejeição popular, mas que já é sabido de antemão que não são soluções verdadeiras. O líder tende a tornar-se um mito para que isto contribua para ganhar poder. Se bem sucedido, consegue que lhe atribuam capacidades e qualidades também míticas, distantes da realidade objetiva. Há uma minimização da importância do sistema político administrativo em sua complexidade. As dificuldades reais são camufladas também neste setor. É comum haver anulação de compromissos partidários e de campanha, anteriormente assumidos. Muitas vezes há esvaziamento deliberado do papel funcional das instituições que sustentam as democracias representativas. O povo é, na verdade, transformado em “massa”, manobrável de acordo com a vontade, ou os projetos da liderança. Cria-se a ilusão de que a população torna-se mais poderosa por uma aparente proximidade com o líder. O poder fica, na verdade, concentrado na pessoa (ou pequeno grupo) que lidera e que se visa atender a seus interesses específicos e não às necessidades da população. Os formatos populistas de liderança têm sido empregados em diferentes modelos ideológicos, tanto pelas chamadas esquerdas, como pelas direitas. É comum entre radicais. Populistas não valorizam questões éticas. Buscar e demonstrar o que é verdadeiro não é um princípio. O que importa é submeter e controlar a sociedade.  O apelo sentimentalista é amplamente utilizado. A carência de recursos materiais para uma vida minimamente satisfatória, a precariedade de formação escolar e restrições ao acesso livre à informação de boa qualidade, no que se refere à população, facilitam o sucesso dos líderes populistas. A propaganda utilizada em campanhas políticas e durante períodos de governo torna-se fundamental. Por outro lado, a revolução nas formas de comunicação direta entre as pessoas propiciada pelas mídias eletrônicas (em que pese a existência de distorções e informações francamente mentirosas) vem contribuindo para maior autonomia dos indivíduos e populações, tanto para se informarem como para agirem. Isto pode representar um empecilho aos estratagemas populistas. Vale sempre ressaltar que todas as formas de populismo são inimigas da democracia. Abaixo: Tela de Ernani Pavaneli, acrílico sobre tela, 80x60cm: “Multidão”SABERES E VERDADE

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s