GERTRUDE STEIN E “A AUTOBIOGRAFIA DE ALICE B. TOKLAS”

 

Gertrud Stein (Allegheny, EUA, 1874-Neuilly-sur-Seine, 1946) além de escritora foi uma grande leitora e degustadora de um mundo vibrante e em acelerada transformação.  Foi também um farol intelectual para artistas plásticos e escritores que desejavam situar-se em algum ponto da modernidade estética. Morou a maior parte da vida na França, para onde foi com sua família ainda muito jovem. Nos EUA tinha estudado medicina e durante o curso teve aulas de psicologia com William James, o grande psicólogo que era irmão de Henry James.  No princípio de sua estada em Paris compartilhou moradia com o irmão, Leo Stein. Ambos eram sensíveis às mudanças ao seu redor e encantados com o que  se produzia de inusitado na arte, especialmente na pintura. Juntos adquiriram belíssimas obras que poucos de seu tempo teriam a ousadia de comprar. Posteriormente, ela passou a viver com aquela que seria a companheira de sua vida, outra americana chamada Alice B. Toklas. Dela escreveu uma “autobiografia”. Neste livro, cujo título carrega um tipo de ironia que caracterizava Gertrude Stein, ela constrói sua própria autobiografia e descreve saborosamente o cenário intelectual e artístico do qual foi membro bastante atuante. Paris, entre sucessivas ondas de inovação, era um universo malabarista, sustentando uma imensa diversidade de manifestações do intelecto e da sensibilidade.  Foi o tempo entre as duas grandes guerras mundiais e que, não sem razão, conserva até hoje uma aura de magia. Stein nunca escondeu a relação amorosa com Toklas. Afirmava-a com coragem e elegância.  Era reconhecida por sua inteligência, firmeza, vanguardismo, dignidade e também por total falta de modéstia (falsa ou verdadeira). Testemunhou e foi agente dos fulgores modernistas. Soube reconhecer o talento e a importância de artistas como Matisse e Picasso, para citar pouco, além de ter lido com cuidado e postura crítica autores que se lançavam como Ernest Hemingway, Scott Fitzgerald e Jean Cocteau. Muitos a procuravam para submeter trabalhos a sua avaliação e escutavam avidamente suas apreciações. Granjeou amigos e inimigos por conta de suas opiniões. Alice Toklas era uma exímia culinarista, além de mulher também inteligente e bem informada. Participava intensamente do que acontecia ao seu redor enquanto parecia estar somente ocupada com a elaboração de boas refeições para Stein e seus amigos. Embora tenha escrito diversos livros, como “The Making of Americans” e “Autobiografia de Todo Mundo”, a “Autobiografia de Alice B. Toklas” foi o maior sucesso da vida de Gertrude Stein e é de leitura deliciosa. Digna dos sofisticados pratos preparados por Toklas. No Brasil ainda é possível encontrar edições da extinta Cosac Naify e da L&PM. Abaixo retrato de Stein feito por Picasso.

 

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s