O SENTIDO DE UM FIM

Como são tecidas as histórias pessoais? O livro do inglês Julian Barnes (Leicester, UK, 1946) “O Sentido De Um Fim” foi elegantemente construído valorizando esta questão. Nossas memórias adquirem sentidos distintos ao longo da vida. Grande parte destes sentidos tende a transformar-se com as mudanças de compreensão sobre nós mesmos e o mundo. Outros cristalizam-se e persistem como verdades irretocáveis. Isto também vale para as crenças na “factualidade” de nossas lembranças. Barnes põe em cena a ideia de que memórias não são reproduções exatas de eventos ocorridos objetivamente. São moldadas pelos afetos, pela subjetividade e por forças involuntárias sobre as quais não sabemos quase nada. Às vezes são totalmente construídas sob direção deles. O trânsito das memórias pela consciência também é errático, aparecendo e desaparecendo sem que possamos entender com clareza as razões para este movimento. Eventualmente somos confrontados com provas de realidade que invalidam nossos registros, por mais que pareçam-nos fidedignos. Isto é desconcertante. A estória neste romance tem aparência muito simples, mas, lida com algum cuidado revela a complexidade dos processos de formação de significação do que recordamos ter acontecido. Temos que aceitar que há muito de suposição e de interpretação sobre os fatos na relação com nossa história. Uma breve namoro na juventude, os vínculos entre amigos, tragédias visíveis e invisíveis, entre muitas possibilidades, tornam-se matéria básica para a ficção. A ficção de cada um sobre si mesmo. Nesta obra viajamos interessados pela busca empreendida por Tony Webster, o protagonista. E o autor não nos permite grandes distrações. Evita que percamos de vista a noção de que nossa capacidade de moldar aquilo que nos constitui não é passível do controle que acreditamos ou desejamos ter. Há um convite ou um desafio para que se tenha uma atitude honesta e corajosa na revisão do que somos e do que são são os outros. O escritor sugere que é obrigatória a assunção da humildade que nos cabe para que possamos seguir em frente. Com credibilidade. E alguma liberdade.
Título da Obra: O SENTIDO DE UM FIM
Autor: JULIAN BARNES
Tradução: LÉA VIVEIROS DE CASTRO
Editora: ROCCO

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s