UM TOSCO NA SALA DOS RICOS: REMBRANDT

A arte é uma forma de discurso sobre e com o universo humano. Dele vem e para ele vai. Cria materialidades para que se vislumbrem engrenagens vitais em ação (mesmo parecendo estáticas). Simon Schama (Londres, 1945), escreveu um livro de ensaios com o título “O Poder da Arte” para dar suas versões sobre isto.

Rembrandt van Rijn (Leiden, 1606 – Amsterdã, 1669) é um de seus temas no ensaio intitulado “Um tosco na sala dos ricos: Rembrandt”. O pintor, que viveu muitas turbulências, oscilando entre glória e desgraça, tanto na intimidade quanto na vida pública, retratou a conversão do dramático para o trágico que costuma reger a vida. Usou cores para produzir contrastes entre o que se pode ver sob a luz e as forças imersas no breu. Aplicou com violência as tintas para desconcertar e revelar o contraditório que caracteriza o olhar do homem para si mesmo e para seu mundo. Parecia desprezar a idealização, onde via falsificações destinadas a aperfeiçoar o que só é fidedigno na imperfeição. Provocou revoluções que perduram.

Aquilo com que nos regala em seus quadros e custou-lhe muito. Ele teve que enfrentar tempestades de cólera por incompreensão, inveja e também por intolerância aos abusos que pode ter cometido ao ver o que via e demandar o que talvez não fosse seu direito automático, como pode ter pressuposto. Sua obra é quase sempre teatral, revelando movimentos e esforços do ser humano para ter um papel relevante na cena em que está inserido. Retratou diversas vezes a si mesmo e a sua esposa, amada e cedo perdida. Representou figuras históricas e mitológicas para falar do que julgava inapelavelmente verdadeiro e fundamental. Também manifestou um tipo de agressividade caricatural. Foi rude com seu cosmos assim como entendeu que este era com ele. Nesse bojo conseguiu produzir beleza, forjada na autenticidade de sua mirada, sem concessões. Um tipo de beleza que, excluídas as banalidades convencionais, faz vibrar algo em quem a enxerga.

Título: UM TOSCO NA SALA DOS RICOS: REMBRANDT, contido no volume O PODER DA ARTE

Autor: SIMON SCHAMA

Tradutora: HILDEGARD FEIST

Editora: COMPANHIA DAS LETRAS

Abaixo foto de “Homem em Trajes Orientais” que está no Metropolitan Museum of Art em Nova York

REMBR 1

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s