HEGEMONIA E ÉTICA

Possivelmente a ideia de hegemonia existe desde que as sociedades se constituíram. Seus rudimentos parecem vir do instinto/desejo de dominação de uns homens sobre os outros. Talvez tenha raiz na evolução das espécies, na luta crua pela sobrevivência. Atravessou a história do pensamento humano com roupagens diversas. No século XlX o marxismo a incluiu em seu projeto de revolução a partir da luta de classes. O italiano Antonio Gramsci (1891-1937) recomendou somar à força de dominação dos indivíduos por parte do Estado (com fortalecimento máximo do poder de governantes sobre governados) ações planejadas de “direcionamento intelectual e moral” (doutrinação) destes indivíduos, criando mecanismos para automatizar sua submissão aos líderes. Neste escopo, a ideia de hegemonia sustenta-se como recurso para impedir a corrosão do poder de um grupo comandante causada por “resistências” da parte de indivíduos ou grupos que se contraponham através de críticas e demandas ou propostas alternativas. Os regimes totalitários estabelecem-se e mantêm-se através de hegemonias. Neles são suprimidas as diversidades e as capacidades individuais para o exercício de forças criativas e transformadoras, consonantes com a complexidade da vida. Se tomarmos o pensamento ético como aquele que exige a revisão constante dos valores assumidos e sua modificação eventual podemos pensar que a ânsia por hegemonia é uma forma de perversão do dever humano para com a ética, a civilidade, equanimidade, autonomia e mesmo o ideal de justiça social. É um empecilho grave à democracia. Um modo de exclusão dos governados no que concerne à governança. A busca de hegemonia permeia ideologias, religiões e outras manifestações humanas. Talvez a Razão seja insuficiente para modular esta força um tanto animal, que os homens desenvolvem para subjugarem uns aos outros. Especialmente quando ela é travestida, para seduzir e prometer o que as pessoas desejam, já de partida sem intenção de respeito à promessa e a quem se promete. Um modo de oprimir. Consultas: Dicionário de Filosofia Nicola Abbagnano, Martins Fontes; Buci-Glucksmann, Hegemony and Consent (Approaches to Gramsci); Dicionário do Pensamento Social, Outhwaite W & Bottomore T, Zahar.  Abaixo Cabeça de Medusa, mosaico encontrado na Ilha de Creta, Grécia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s