HEGEMONIA E ÉTICA

Possivelmente, a ideia de hegemonia existe desde que as sociedades se constituíram. Seus rudimentos parecem vir do instinto/desejo de dominação de uns homens sobre os outros. Talvez tenha raiz na evolução das espécies, na luta crua pela sobrevivência. Atravessou a história do pensamento humano com roupagens diversas. No século XlX o marxismo a incluiu em seu projeto de revolução a partir da luta de classes. O italiano Antonio Gramsci (1891-1937) recomendou somar à força de dominação dos indivíduos por parte do Estado (com fortalecimento máximo do poder de governantes sobre governados) ações planejadas de “direcionamento intelectual e moral” (doutrinação) destes indivíduos, criando mecanismos para automatizar sua submissão aos líderes. Neste escopo, a ideia de hegemonia sustenta-se como recurso para impedir a corrosão do poder de um grupo comandante causada por “resistências” da parte de indivíduos ou grupos que se contraponham através de críticas e demandas ou propostas alternativas. Os regimes totalitários estabelecem-se e mantêm-se através de hegemonias. Neles são suprimidas as diversidades e as capacidades individuais para o exercício de forças criativas e transformadoras, consonantes com a complexidade da vida. Se tomarmos o pensamento ético como aquele que exige a revisão constante dos valores assumidos e sua modificação eventual podemos pensar que a ânsia por hegemonia é uma forma de perversão do dever humano para com a ética, a civilidade, equanimidade, autonomia e mesmo o ideal de justiça social. É um empecilho grave à democracia. Um modo de exclusão dos governados no que concerne à governança. A busca de hegemonia permeia ideologias, religiões e outras manifestações humanas. Talvez a Razão seja insuficiente para modular esta força um tanto animal, que os homens desenvolvem para subjugarem uns aos outros. Especialmente quando ela é travestida, para seduzir e prometer o que as pessoas desejam, já de partida sem intenção de respeito à promessa e a quem se promete. Um modo de oprimir. Consultas: Dicionário de Filosofia Nicola Abbagnano, Martins Fontes; Buci-Glucksmann, Hegemony and Consent (Approaches to Gramsci); Dicionário do Pensamento Social, Outhwaite W & Bottomore T, Zahar.  Abaixo Cabeça de Medusa, mosaico encontrado na Ilha de Creta, Grécia

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s