HISTÓRIA DO NOVO SOBRENOME

No segundo volume da tetralogia intitulada “Série Napolitana”, a escritora que se encobre sob o nome Elena Ferrante, dá continuidade à estória centrada na relação entre duas amigas, que o são desde a infância. Compartilharam, enquanto meninas, as agruras, esperanças e o aprendizado sobre a rudeza do mundo que viviam. Além de alguma magia, conferida pela capacidade de fantasiar, a despeito das dificuldades. Neste livro, ambientado na Nápoles dos anos 60, elas se tornam adultas. Uma se casa, após ter que interromper sua vida escolar, por determinação dos pais sem recursos e sem condições de se aperceberem do brilhantismo da inteligência da filha.  A narradora, o outro elemento do par, prossegue estudando. Embora mudem algumas circunstâncias, a ligação entre elas permanece intensa. Cada uma a seu modo segue tendo a outra como referência principal, no trânsito pelo mundo. A admiração mútua, que contém grandes doses de sentimento amoroso e solidário, assim como uma inveja ácida que não se cala, dá o tom ao relacionamento. A narrativa, sempre atraente, carregada de vida, faz com que o leitor queira sempre dar continuidade à leitura. Não há nada que lembre o tédio. Questões sofisticadas são tecidas com sutileza. O refinamento literário fica evidente aqui. Aparentemente sem esta intenção, a autora traz à baila, sem a formulação objetiva, a famosa pergunta freudiana: “o que quer uma mulher”. Surge a complicada engenharia da construção das identidades. Dos contrapontos. Mesmo através de uma concretude quase grotesca do cotidiano dos personagens, protagonista e narradora fazem prevalecer o jogo do desejo, cujo objeto inapreensível circula entre elas. E para além delas, como a luz de um vaga-lume. Femininamente, sobretudo. Compartilham a busca aflitiva por um senso de direção do viver, do qual não se apropriam. A vontade vige forte. Em ambas. E a trama seduz sem que os fatos em si sejam o cerne do interesse do leitor, embora também neste sentido haja a boa construção da autora. Ela sabe contar bem uma estória. Mas, além disso, sabe enlaçar o leitor, oferecendo-lhe vislumbres sobre a natureza do vínculo entre ambas. Sua dinâmica. Mutante e permanente. Como uma miragem dos imperativos do desejo.
Título da Obra: A HISTÓRIA DO NOVO SOBRENOME
Autora: ELENA FERRANTE
Tradutor: MAURÍCIO SANTANA DIAS

Editora: EDITORA GLOBO, BIBLIOTECA AZUL

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s